Nº 55 | janeiro / fevereiro 2014
Publicando

Publicações do bimestre | Da Redação

Novas descobertas e fórmulas matemáticas



Após lançar seu Novas Descobertas e Fórmulas Matemáticas, em dois volumes, o professor de matemática João Celso Diel Plentz relançou a obra, em edição revista e compacta.

O livro de quase trezentas páginas, além de reunir os livros anteriores em volume único, traz algum acréscimo.

É o próprio autor quem diz:
“Nesta edição sirvo-me do ensejo para incluir novos conceitos no conteúdo de alguns capítulos, como ‘raio polar’ e ‘raio equatorial’, bem como para acrescentar novas fórmulas para o cálculo do volume da Terra e a soma dos termos consecutivos de uma progressão geométrica, elevados a qualquer e mesma potência” .

Direcionado aos professores e estudantes de matemática, o livro corrige alguns erros de digitação da primeira edição e pode, para o autor, ser utilizado como recurso à complementação do currículo escolar.

Com 16 capítulos e um apêndice, o livro navega por um mar de números e cálculos, lúdica ou sistematicamente, para ancorar, finalmente em um poema que evidencia a formação humanística de um autor preocupado com a Matemática da Vida e para o qual “aprender nunca é demais”.

Quem jamais divide
aquilo que lhe sobra
no amor nunca progride
nada soma ao seu conceito
nada acrescenta à boa obra
Quem não trabalha não produz
não terá para somar e repartir
talvez seja inclinado a subtrair
para multiplicar daquilo que deduz
cuja prova real o produto oculta
Quem subtrai cria duras raízes
o que diminui o resto do bem
Usar a potência para o mal
fazendo outros infelizes
é não dar positiva ida
na passagem do igual
na equação da vida


Marés e Serranias (2a edição)



Benilson Toniolo, da Academia de Letras de Campos do Jordão, reedita, pela literasas, seu livro de poemas Marés e Serranias e sobre o livro, na quarta capa, a poetisa argentina Maria Cristina Drese abandona a parcimônia de suas considerações no elogio à obra. Diz ela:

“En neste libro Benilson Toniolo nos muestra una vez mas la calidad y profundidad de sus poesias, cuando dice: ‘Túneles se laberintan en la noche de mis sueños sigue su busqueda esperando respuestas y el porquê en un mundo vacio de sentimientos’.

Descreído dice, pensando en el futuro: ‘Ningun niño nos va a salvar’, En su laberinto crea los recuerdos y ‘recorre memorias desencontradas’ entre los personajes de la convivencia. Y nos dice: ‘Mi verso semeja a una tarde’ donde comienza a recorrer lugares y paysajes.

Juega con las palabras e a veces lucha con elas... su poesia tiene la fuerza y la fragilidad de la condición humana, se siente en peligro frente al avance de la ciudad que a veces deshumaniza al hombre, Pero sigue...

Es una busqueda permanente en sua alma, ‘le teme a ciertos desafios y solo lo sostiene la esperanza y la Poesia’ soñando con los Mares, lega a las Sierras y logra su refugio en la tierra, dando sua agradecimento a la beleza de los Campos de Jordão y a la oracion con un amor infinito a Dios.

La palabra escrita resulta ser un espacio inviolable entre entre el escritor y la persona que está leyendo. Es el puente que conecta a ambos...

La gran creatividad que se ve relejada en cada verso nos muestra su identidad e suas sentimientos. Con gran talento y a traves del pensamiento, constroye una fuente de creación, uniendo los abismos y dejando una juella que germinará entre los lectores.”

Ampliar imagens

Tessituras



O poeta e professor Jurandir Rodrigues, membro da Academia Cachoeirense de Letras e Artes, lançou em dezembro seu mais recente livro, Tessituras – uma coletânea de poemas e textos em prosa publicada pela Editora Penalux. Amigo, e também poeta, o jovem Raphael Pousa, assim se refere ao autor:

“A inspiração do ser-poeta Jurandir Rodrigues vem da sua simplicidade em enxergar a vida. As acontecências dos seus versos têm a virtude de serem lidas ao vento, em doses diárias. Mas é nos contos que ele tira da literatura, da imaginação, a transpiração do ofício escritor. Ser poeta é diferente de ser contista. Os pingos de suor são diferentes. As tessituras destes contos se acomodam em diversas vozes, ambientes, lugares, temperaturas. Do sábado que ‘deveria ser alegre’ ao domingo com o fardo da mulher cozinhando enquanto ele lia, tudo isso apresentando o possível contraste, ou coincidências, da vida comum, do ensinamento e aprendizado de viver que cada leitor pode se ver nestas cenas como próprio personagem. Sabedor das palavras com uma sonoridade musical presenteia o universo dos contos com o belo Naquela tarde, este que ao seu final dá vontade de colocar uma música e dançar, pelo menos, com as letras. A sua prosa sai de alguns lapsos dos seus versos. Não chamaria de uma prosa poética, mas é possível sentir estrofes em algumas passagens de Sandálias. Há, também, o embate psicofilosófico de Das tendências.Lapsos e tessituras se torna chuva no papel que faz florescer de forma desconcertante e simples o fazer de sua prosa, traz o escritor afinado com seu tempo, sem excessos, com coesão. Com estes contos Jurandir prova que, com sua fome e liberdade, se alimenta da vida”.

Na quarta-capa do livro, o escritor Guto Capucho apresenta a obra com as seguintes palavras:

“O ser humano Jurandir Rodrigues é de uma simplicidade & bondade comoventes, dessas que estão difíceis de achar. O poeta Jurandir Rodrigues imprime as mesmas virtudes em seus poemas. Poemas que dialogam com o cotidiano, com a sabedoria dos humildes, com aquilo que quase ninguém mais dá valor ou atenção. Jurandir é grande tanto em tamanho como em talento. Eu o definiria como um ‘Urso cálido que escreve poesias necessárias para que não enlouqueçamos diante do horror da indiferença e do desprezo’. Seu talento reside exatamente aí, em escrever poemas sobre sentimentos & coisas que realmente precisam ser resgatadas do fundo das almas & dos corações que ainda acreditam no Ser Humano e na sua capacidade de se emocionar com um por de sol, uma criança empinando pipa ou nas juras de amor eterno entre aqueles que se amam com o coração puro e verdadeiro”. O livro pode ser adquirido através da loja virtual da editora: editorapenalux.com.br/loja
 
 
ACIA Valle e Azen Sociedade de Advogados
 
 
  © 2007 • 2014 Jornal O Lince, tem o que ler  | Tel.: (12) 9 9138 5576 | redacao@jornalolince.com.br
  Rua Alfredo Penido, 101, Jardim São Paulo
  Aparecida, SP | CEP 12570-000