Nº 55 | janeiro / fevereiro 2014
Genealogia

Reconstituindo a História de Aparecida XII | Benedicto Lourenço Barbosa

Maximiano Corrêa dos Santos



Também conhecido como Maximiano dos Santos, nasceu no bairro de Potim, então Distrito de Aparecida/SP, portanto aí registrado, aos 06 de junho de 1910, e falecido na Revolução Constitucionalista de 1932. Filho de Jorge Corrêa dos Santos e de Lydia Bibiano dos Santos.

Avós paternos: Antonio Corrêa dos Santos e Maria José dos Santos.

Avós maternos: Antonio Bibiano dos Santos e Rosa Bibiano dos Santos.

Entre seus irmãos: Joaquim Corrêa dos Santos, casado com Maria Marcondes; e Júlio Corrêa dos Santos, conhecido como “Bartolo”, casada com Maria Margarida dos Santos. Entre os sobrinhos estão: Dorival Corrêa dos Santos (“Duda”) que é gráfico, Dimas, Terezinha, Nanci, Jaqueline e Silvino Corrêa dos Santos.

Segundo relato dos familiares, sua morte se deu quando, andando onde hoje se localiza o Estádio de Futebol 17 de dezembro, foi metralhado por um avião, conhecido como “vermelhinho” e teve seu corpo cortado ao meio. Seus restos mortais hoje estão em um mausoléu em São Paulo e é homenageado como herói pelo Estado de São Paulo, por ter participado da Revolução Constitucionalista com o sacrifício da própria vida. Aparecida deu seu nome a uma das ruas da cidade.

De acordo com o Almanaque Ecos Marianos de 1958, p. 38, os restos mortais dos heróis da Revolução Constitucionalistas, comemorando os 25 anos da Revolução em 1957, foram transladados passando pela Basílica Nacional de Aparecida, permanecendo algum tempo em seu interior.

Oswaldo Moraes Castro



Nascido aos 02-11-1911, em Aparecida/SP e aí falecido aos 26-01-1984, filho de Pedro Natalício de Castro (1883-1962) e de Iza Spangenber de Moraes (1891-1920).

Avós paternos: Luiz Cesário de Castro e Amália Silvéria de Castro. Avós maternos: Antonio Rodrigues de Moraes Júnior e Amélia Spangenberg de Moraes, naturais de Cantagalo/RJ. Casado em Aparecida/SP, aos 02-06-1942, com Iracema Gomes, nascida aos 02-04-1912, em Aparecida/SP, filha de Francisco Gomes e de Antonia Gomes. Pais de:

1. Wagner Fábio Gomes Castro, nascido aos 21-03-1946, em Aparecida/SP, e aí, aos 28-01-1969, casou-se com Regina Helena Chad, nascida aos 18-01-1945, em Aparecida/SP. Pais de:

1. Fábio Henrique Chad de Castro, nascido aos 23-06-1971, em Aparecida/SP e casado com Shirlei Lopes, nascida aos 02-09-1974.

2. Maria Frederica Chad de Castro, nascida aos 21-10-1972.

3. Wagner Fábio Gomes Castro Filho, nascido aos 23-12-1977.

Oswaldo Moraes Castro perdeu sua mãe com apenas 9 anos, onde fez seus estudos primários. Ainda muito jovem iniciou suas experiências profissionais trabalhando na farmácia do farmacêutico Américo Alves Pereira Filho, que também era líder político em Aparecida/SP.

Com a experiência ali adquirida, aviando receitas, fazendo curativos e aplicando injeções tornou-se um prático de farmácia e, posteriormente Oficial de Farmácia, ficou pronto para montar sua farmácia e assim o fez, no início da Rua Monte Carmelo.



Nascido em Zahle, no Líbano, por 1846 e falecido em Aparecida/SP, aos 29-09-1924, filho de Gebran Abdo e de Catharina Chad. Casado com Maria Abdallah, filha de João Abdallah e Anastácia Abdallah, nascida em Zahle no Líbano e falecida em Aparecida/SP aos 27-07-1913. Pais de:

1. Maria Chad, nascida por 1883 em Zahle no Líbano e falecida em Aparecida/SP. Casada com Jorge Abdallah.

2. José Chad, nascido por 1885 em Zahle no Líbano e falecido em Aparecida/SP. Casado com Maria Jacob.

3. Gebran Chad, nascido por 1887 em Zahle no Líbano e falecido em Aparecida/SP aos 10-04-1956. Casado com Amélia Simão Ferreira (Amine).

4. Tufai Chad, nascido por 1888 em Zahle no Líbano e falecido em Aparecida/SP. Casado com Auta Dorgan.

5. Miguel Chad, nascido aos 24-01-1898 em Aparecida/SP e aí falecido aos 24-12-1937. Casado aos 22-05-1920 em Aparecida/SP com Anna Ramos, nascida em Alambary do Bananal/SP.

6. Abrahão Chad, nascido em Aparecida por 1900 e aí falecido. Casado com Maria do Carmo Nicolau Bueri.

7. Sillem Chad, nascido em Aparecida/SP. em 1903 e aí casado aos 10-06-1924 com Maria Alvez de Rezende, nascida em Carmo da Cachoeira/MG em 1905.

8. Felício Chad, nascido em Aparecida/SP, aos 11-06-1906 e aí aos 02-06-1934 casou-se com Rosa Chalub, nascida em Zahle no Líbano.

Manoel Ferreira dos Santos (Timbica)



Nasceu em Aparecida/SP, aos 14 de maio de 1908 e aí faleceu aos 22 de março de 1972. Filho de José Ferreira da Silva e Maria José dos Santos. Casado aos 7 de janeiro de 1937, em Aparecida/SP, com Anna Rangel, nascida em Aparecida/SP, aos 04 de julho de 1918, filha de Gabriel Bento Rangel e de Benedicta Maria das Dores. Pais de:

1. Helena Rangel dos Santos, nascida aos 25-02-1938, em Aparecida/SP, mãe de, entre outros: Gilberto Gomes. Casada, aos 11-02-1956 com Geraldo Gomes, nascido aos 02-05-1932, em São Luiz do Paraitinga/SP.

2. Teresinha Ferreira dos Santos, nascida aos 27-01-1940, em Aparecida/SP, e aí, aos 17-04-1958, casou-se com Luiz Gonzaga da Silva, nascido aos 29-04-1934, em Aparecida/SP.

3. Zelia Ferreira dos Santos, nascida aos 27-06-1941, em Aparecida/SP, e aí casada, aos 20-01-1959, com Eberhard Georg Julius Vigantzky, nascido aos 23-07-1927, em Anitápolis/SC.

4. Maria Luiza Ferreira dos Santos, nascida aos 12-05-1943, em Aparecida/SP, e aí, aos 04-12-1959, casou-se com Milton Carlos de Melo, nascido aos 29-09-1936, em Pesqueira/PE.

5. Vera Lúcia Ferreira dos Santos, nascida aos 16-01-1946 e aí, aos 30-04-1983, casou-se com Geraldo Lucas.

6. Manoel Benedito de Jesus dos Santos, nascido aos 10-07-1947, em Aparecida/SP e aí, ao 06-02-1971, casou-se com Maria Aparecida Romão.

7. Arnaldo Luiz dos Santos, nascido aos 30-07-1948, em Aparecida/SP, e aí casado, aos 11-07-1981, com Terezinha de Jesus Eloy dos Santos.

8. Antonio Carlos dos Santos, casado aos 28-07-1973, com Maria Luzia Elias dos Santos.

9. Júlio José Ferreira dos Santos, nascido em Aparecida/SP, e aí, aos 15-01-1977, casou-se com Maria Teresa Oliveira.

10. Maria Aparecida Ferreira dos Santos.

Manoel Ferreira dos Santos foi festeiro de São Benedito em Aparecida/SP, em 1961. Foi taxista, porteiro da Fábrica de Papel de Aparecida e fundador do Clube Floresta, Presidente da Associação Atlética Santa Terezinha, participou como soldado da Revolução Constitucionalista de 1932 e como líder de bairro apoiou o Prefeito Solon Pereira.

Ampliar imagens

Professor José Luiz Pasin



Nasceu em Aparecida/SP, aos 27-08-1939 e faleceu aos 11-01-2008 em Guaratinguetá/SP, filho de José Pasin e de Thereza de Jesus Trannin Pasin casados em Aparecida/SP, aos 29-09-1938. Avós paternos: Luiz Pasin e Etelvina Pasin. Avós maternos: Alfredo José Trannin e Isaura da Silva Trannin.

Concluiu o Curso Ginasial no Colégio São Joaquim em Lorena/SP no ano de 1955.

Fez o curso de Técnico em Contabilidade pela Escola Técnica de Comércio "Antonio Rodrigues Alves" em Guaratinguetá/SP. concluindo em 1958.

Bacharel e Licenciado em Geografia e História pela Faculdade Salesiana de Filosofia, Ciência e Letras de Lorena/SP. em 1962.

Foi Presidente do Centro de Estudos e Debates "Eduardo Prado" de 1964 a 1966, quando trouxe ilustres conferencistas entre eles o historiador Tito Lício Ferreira.

Escreveu em diversos jornais e participou de inúmeras Instituições e Sociedades Culturais.

Foi fundador e 1º Presidente do Instituto de Estudos Valeparaibanos que permaneceu com a sede no Museu Frei Galvão por muitos anos.

Recebeu inúmeras medalhas de Instituições culturais e científicas.

Foi professor de nível médio de História, OSPB e História e Geografia Econômica em Ginásios e Colégios de Aparecida e Guaratinguetá/SP.

Professor Assistente e Titular de História do Brasil e História Antiga, Medieval, Moderna e Contemporânea nas Faculdades de Lorena/SP, Itajubá/MG, Cruzeiro/SP e Taubaté/SP.

Foi o organizador principal de dezenas de Simpósios nas cidades no Vale do Paraíba e cidades de Minas Gerais e Rio de Janeiro.

Professor de História Econômica geral e Formação Econômica do Brasil nas Faculdades de Guaratinguetá/SP.

Dentre suas obras destacamos: “Os Poetas de Aparecida”, “Os Poetas de Guaratinguetá”, “Os Barões do Café – Titulares do Império no Vale do Paraíba Paulista”, “O Outro Euclides, Engenheiro Euclides da Cunha no Vale do Paraíba de 1902 a 1903”, “Vale do Paraíba – A Estrada Real: Caminhos e Roteiro” premiado pela Academia Paulistana de História.

Em sua Fazenda Boa Vista criou um ambiente cultural e ecológico que realizou inúmeros cursos e palestras e recebia alunos das Escolas Estaduais, Municipais e Particulares, bem como personalidades de projeção regional e nacional.

Padre Isaac Barreto Lorena



Nasceu aos 14-01-1914, em Aparecida/SP e aí falecido, aos 21-01-1998, com 84 anos. Filho do Maestro Oscar Randolpho de Lorena e de Maria Benedicta Barreto de Lorena. Avós paternos: Maestro Randolpho José de Lorena, Mestre-Capela do Santuário de Aparecida, e de Justina Augusta Barbosa. Avós maternos: Maestro Isaac Júlio Barreto e Maria do Carmo França Barreto.

Concluiu os estudos primários em Aparecida/SP, em 1924, com a maior média da turma: 9,6. Os estudos secundários (ginasial e colegial) foram realizados no Seminário Santo Afonso, primeiro à Praça Nossa Senhora Aparecida e no Colegião (Seminário Bom Jesus) de 1925 a 1930.

Fez o noviciado em Pindamonhangaba/SP, em 1931.

Depois da profissão religiosa, em 1932, fez os estudos de filosofia e teologia nas cidades de Manoel Ocampo, Allende e Córdoba, na Argentina, concluindo o curso de Teologia na cidade de Tietê/SP, fazendo os votos perpétuos em 1937.

Aos 14-01-1937, foi ordenado sacerdote redentorista na Igreja Matriz de Tietê/SP, por Dom José Carlos de Aguirre. A primeira missa cantada foi composta por ele e executada pela família em 1937, em Aparecida/SP.

Por seus excepcionais dotes iniciou sua vida sacerdotal como professor universitário no Seminário Maior de Santa Terezinha, em Tietê/SP, onde ensinou Sagrada Escritura e Direito Canônico. Trabalhou também em missões populares e paróquias e pregava retiros. Foi ainda capelão das irmãs carmelitas, em Cotia/SP.

Paralelamente às ações de missionário, capelão e professor, escrevia para o jornal O Santuário e para a revista Ecos Marianos, de Aparecida/SP, com os pseudônimos de Isaqui e Simão Cireneu. Trabalhou em Aparecida/SP mais de uma vez, onde terminou seus dias.

Escreveu as obra publicadas: “Achamos o Messias”, “Mulher na Bíblia”, “Ele no Evangelho” e tantas outras. Poeta, publicou: “Feliz Ano Novo”, “O meu pedido”, “O Anjo do Senhor anunciou à Maria”, entre outras. Foi compositor sacro, poeta, professor, missionário, maestro e escritor.

Em 2014, celebra-se o centenário de seu nascimento.

Benedicto Lourenço Barbosa é Mestre em Ciência e autor do livro Nossas Origens - 300 anos de História de Aparecida-SP.

 
 
Umuarama Clube 2014 - 50 anos Valle e Azen Sociedade de Advogados
 
 
  © 2007 • 2014 Jornal O Lince, tem o que ler  | Tel.: (12) 9 9138 5576 | redacao@jornalolince.com.br
  Rua Alfredo Penido, 101, Jardim São Paulo
  Aparecida, SP | CEP 12570-000