Nº 58 | julho / agosto 2014
História

"Mulher" será o tema do XXIX Simpósio de História do Vale do Paraíba | Da Redação

O Instituto de Estudos Valeparaibanos, após assembleia realizada em 12 de julho, na cidade de Cunha-SP, deliberou que o próximo simpósio promovido pela entidade terá a cidade de Guaratinguetá-SP como sede e a "Mulher" na história da região como tema.

Os organizadores estão empolgados com a escolha e prometem um evento muito bem trabalhado.

A novidade fica por conta da mudança de formato do evento que passa a ser bianual, sendo que o ano que precede o grande encontro acadêmico será marcado por ações pré-simpósio bimestrais.

Assim, o XXIX Simpósio de História do Vale do Paraíba acontecerá em 2016 e a agenda prevê a conferência de abertura para a noite do dia 20 de julho.

Como presidente do simpósio e representante das mulheres, atuará a advogada e promotora cultural Andréia Jauquim. Representando o Instituto está Diego Amaro de Almeida, Mestre em História e propositor e entusiasta do tema.

Um pré-formato do evento já está definido e, assim que finalizado, deverá ser, em breve, aprovado e divulgado.

Como no Simpósio de Aparecida, o tema geral será desdobrado em eixos que conterão mesas de debates e comunicações.

Conferências, apresentações artísticas e exposições completarão o evento que, ao que tudo indica, permitirá uma grande mobilização feminina e acadêmica na região.

Uma primeira agenda prevê quatro eixos em torno dos quais se darão as pesquisas e os estudos: "A mulher na formação do Vale do Paraíba"; "A mulher nas Artes"; "Mulher e Educação"; e "Mulher e Sociedade".

A considerar os primeiros movimentos, serão seis conferências, oito mesas de debates, envolvendo 24 pesquisadore(a)s e 8 mediadores, e 12 comunicações acadêmicas.

Os convites começam a ser formalizados e as inscrições para a apresentação de trabalhos serão abertas assim que o site do simpósio for ao ar.

Os promotores do congresso esperam, com o prazo intervalar ampliado, que os pesquisadore(a)s possam desenvolver seus estudos menos sofregamente e assim, a tempo, somarem contribuições inovadoras e significativas ao tema, um dos objetivos maiores do simpósio.

O evento acontecerá no "Espaço Guará", situado no centro de Guaratinguetá-SP, à rua São Francisco, n0 82 e administrado pela AGG's Serviços Culturais.

Pensado para 120 pessoas, é de se imaginar que, com tamanha organização e antecedência das providências, o que demonstra grande preocupação com o planejamento, esse número seja rapidamente alcançado e superado.

Há que se lembrar que o ano de 2015 será marcado pela realização de seis ações pré-simpósio em seis cidades diferentes do Vale. Cada um desses encontros que terão início em fevereiro do próximo ano, está sendo detalhadamente pensado em função dos objetivos gerais do evento máximo que acontecerá entre os dias 20 e 23 de julho de 2016.

Ampliar imagens

Os estudos sobre gênero são recentes no Brasil. No Vale do Paraíba, em especial, ainda são incipientes, o que torna a decisão do Instituto de Estudos Valeparaibanos de adotar a temática ainda mais procedente.

A intensificação desta pauta para os próximos dois anos é uma contribuição deveras importante para a historiografia regional e para as mulheres que poderão ver desnudados, através da história, os papéis por elas exercidos e as ações por elas desencadeadas ao longo dos últimos séculos.

Que as pesquisas desencadeadas nos próximos dois anos sejam frutuosas e que as mulheres participem com a mesma força e empenho que as fizeram conquistar, ao longo da história, as relações de igualdade pelas quais sempre lutaram.

Cinco moças de Guaratinguetá - Di Cavalcanti



Emiliano Di Cavalcanti teve suas passagens por Guaratinguetá-SP, especialmente quando contratado para fazer um belíssimo painel no Clube dos 500, entre 1950 e 1951, para compor, com a arquitetura de Oscar Niemeyer e o paisagismo de Burle Marx, o belíssimo conjunto em que se transformou o Hotel concebido às margens da Via Dutra, entre Rio e São Paulo, para ser uma espécie de time sharing, uma propriedade compartilhada entre 500 amigos.

Bem antes disso, entretanto, Di Cavalcanti pintou Cinco moças de Guaratinguetá (1930), um clássico que hoje faz parte do acervo do MASP (Museu de Arte de São Paulo) e que foi reproduzido em selo dos Correios, em 1974.

Cinco moças de Guaratinguetá é um óleo sobre tela medindo 90x70cm e traz forte influência cubista.

Di Cavalcanti nasceu no Rio de Janeiro, em 6 de setembro de 1897, e faleceu, na mesma cidade, em 6 de outubro de 1976, aos 79 anos.
 
 
Umuarama Clube 2014 - 50 anos Supermercados Leão
 
 
  © 2007 • 2014 Jornal O Lince, tem o que ler  | Tel.: (12) 9 9138 5576 | redacao@jornalolince.com.br
  Rua Alfredo Penido, 101, Jardim São Paulo
  Aparecida, SP | CEP 12570-000